Esta semana no podcast Marketing Digest falamos sobre um dos melhores livros escritos sobre usabilidade online Don’t make Me Think de Steve Krug.

1.Quanto mais informação, menos absorção.

Quanto maior o texto, livro, site, etc. Menos probabilidade há das pessoas lerem/verem/conhecerem tudo.

2. Satisfice

Elas Satisfice (suficiente + satisfatório). Em vez de procurar arduamente pela a melhor solução, as pessoas procuram e ficam-se pela solução “Satisfice”.

3. As pessoas não lêem páginas online, elas fazem scan.

Exceto em certos casos, como instruções, notícias, detalhes de produtos, etc. Mais de metade do nosso tempo online é através de “scaning”. Procuramos aquilo que estamos à procura e se não o encontrarmos carregamos no botão mais utilizado nos browsers (voltar atrás).
Self-evident vs self-explanatory, o evidente não necessita de leitura e o outro sim. Logo se estivermos a fazer scaning podemos não perceber o self-explanatory. Podemos auxiliar o scan : – tirando vantagem das convenções online (regras tipo texto azul é um link) – criar hierarquias facilmente identificáveis – separar páginas por áreas definidas – ser óbvio no que são links clicáveis -eliminar distrações.

4. Omitir palavras não necessárias

Reduzir o texto pode ajudar a diminuir o rácio barulho /informação necessária – e faz com que o texto mais importante sobressaía – faz as páginas mais pequenas o que permite mais visualizações – diminui o happy talk, aquele corpo que diz que o site é maravilhoso e não ajuda o usuário (welcome message, etc.) -Instruções devem morrer. Ninguém as vais ler, essa é a verdade. Pelo menos até tentar o processo 5 vezes e falhar.. Até lá pode se esconder as instruções ou fazer as coisas self-explanatory

5.Breadcrumbs

A importância das breadcrumbs e sinalização : Se não soubermos que as coisas existem não as vamos comprar, seja uma loja física ou online. Daí a importância de sinalização para orientar as pessoas. Online não há ninguém a quem perguntar onde fica ou se têm o produto X.

6. Claridade deve se sobrepor a consistência.

É bom ter um design consistente e bonito por todo o site mas não devemos prejudicar a consistência de como o site funciona pela claridade. Clarity trumps consistency.

7.Decisão Rápida sobre relevância

Estudos de eye tracking provaram que as pessoas fazem scan pelas páginas e decidem rapidamente se o site tem informação útil ou não, passando por partes do site como se nem existissem (banner blindness, por exemplo) . Algo que pode combater isto é dividir o site ou artigo por títulos, por partes fácil e rapidamente identificáveis deixando óbvio o que é clicares e apoiando os títulos com algum texto de apoio (subtítulo ou descrição)

8. Instruções não podem ser sempre a solução e devem ser eliminadas.

Ninguém lê instruções enquanto faz scan e só as vão ler após várias tentativas sem as ler.

 

Livro referido pelo @Ricardo: Paradigma da Escolha” do Barry Schwartz

 

Subscrever e não perder mais um episódio:

RSS de Podcast: http://marketing-digest.podomatic.com/rss2.xml
iTunes: https://itunes.apple.com/pt/podcast/podcast-marketing-digest/id844099136?mt=2
Facebook: https://facebook.com/appmnews
Twitter: https://twitter.com/mktdigest
Youtube: http://youtube.com/appmpt

 

Download Podcast áudio

  • Entrevista Paulo Veiga (SONAE) e Lídia Monteiro (Turismo Portugal) – Marketing Digest Ep.35
  • Entrevista Luís Mergulhão (OMD) e Pedro Janela (WYGroup) – Marketing Digest Ep.34
  • Entrevista João Duarte (YoungNetwork) e Fernando Mendes (CoworkLisboa) – Marketing Digest Ep.33
  • Entrevistas Sarah Harmon (LinkedIn) e Michael Leander (Marketing Speaker) – Marketing Digest Ep.32

Deixe um Comentário

O seu email não será publicado.

Pode utilizar HTML